O que eles fizeram no verão passado, deputada? Questionou Natália Bonavides na CPMI das Fake News

A deputada federal Natália Bonavides (PT/RN) participou hoje (04), em Brasília, do depoimento da deputada federal pelo PSL, Joice Hasselmann, à Comissão Parlamentar Mista de Inquérito que investiga as fake news (CPMI das Fake News), da qual a parlamentar é integrante. Assim como o deputado federal Alexandre Frota (PSDB), Joice vinha anunciando que seu depoimento seria de grande interesse público por ela ter feito parte da base do governo Bolsonaro.

A crise dentro do PSL provocou o rompimento de Joice com a “ala bolsonarista” do partido, o que culminou na sua retirada da liderança do governo no Congresso Nacional. A depoente foi duramente atacada nas redes sociais após o rompimento.

“Qual a participação de Carlos e Eduardo Bolsonaro nas milícias, deputada? A senhora identificou outros assessores, além de Duda Guimarães, envolvidos no gabinete do ódio? Carlos Bolsonaro chegou a operar alguma das contas do ‘Pavão Misterioso’?” Esses foram alguns dos questionamentos da deputada Natália Bonavides a Joice, que destacou não poder afirmar envolvimento de outros assessores sem a quebra do IP para não ser injusta, porém chegou a dizer que ele [Eduardo Bolsonaro] cumpria uma função de coordenação do gabinete do ódio, justamente porque todos os assessores que o compõem possuem forte ligação com ele.

“Desmascarando a organização criminosa das fake news bolsonaristas, Joice Hasselmann, que foi líder do governo Bolsonaro, escancarou o esquema de produção e difusão de notícias falsas. Dinheiro público para financiar uma milícia virtual, isso é absurdo. Ela trouxe provas da atuação da organização criminosa que produz e dissemina fake news e agora vamos requerer a quebra do sigilo do grupo do Instagram citado pela deputada que, segundo ela, planeja essas ações de produção em massa de fake news”, destacou Natália Bonavides.

Joice Hasselmann preparou uma detalhada apresentação para mostrar como funciona a rede bolsonarista na distribuição de fake news, destacando os robôs existentes nas redes do Presidente da República e do seu filho, o deputado Eduardo Bolsonaro. Apresentou prints e áudios que demonstram a existência e o trabalho do gabinete do ódio, afirmando enfaticamente que essa estrutura é paga com dinheiro público. Joice abordou também o fato de todos saberem da existência dessas milícias digitais. O depoimento da deputada federal Joice Hasselmann à CPMI será apreciado pela relatora, Lídice da Mata.

 

Natália Bonavides

Comentários